Biografia Paulo Roberto Gobo

Biografia Resumida

Nascido à primeiro de fevereiro de 1966, Paulo Roberto Gobo, filho de João Attílio Rosa Gobo, Metalúrgico, e Irene Rosa Gobo, Professora, produz em 1974 sua primeira obra de arte, que já não existe mais, um desenho a lápis de cor sobre papel representando uma casa de paredes amarelas, porta e janelas lilás e telhado vermelho em meio à mata verde cortada por um rio marrom e é hostilizado por seus irmãos com falas tipo: "Por que você não faz outra coisa que não pintar?"; "Pintar não é o seu caso." e "Água sempre se pinta de azul."
Cumpre, a revelia de sua vontade, serviço militar obrigatório em Ijuí, RS. Forma-se Bacharel Licenciado em Administração de Empresas pela UNIJUÍ - Universidade de Ijuí e Especialista em Marketing pela FGV - Fundação Getúlio Vargas em Porto Alegre, RS.
Autodidata nas artes, frequenta o atelier da artista visual e amiga Luiza Marschner, onde tem suas lições de pintura e conclui seu primeiro óleo sobre tela "Ensaio de pôr do sol". Submete seu "Democracia brasileira" ao II Concurso Artístico do Dia do Soldado coordenado pelo 27º GAC - Grupo de Artilharia de Campanha; participa de sua primeira exposição coletiva durante a 11ª FENADI - Feira Nacional das Culturas Diversificadas e realiza sua primeira individual "Fotografias" na Yázigi International School em Ijuí.
Até então, sua produção envolve temáticas que variam de florais a retratos nas representações gráficas (o visível) de cada tela, propõe refletir sobre o que é intrínseco a elas (mas nem sempre visível nas mesmas) e vai da liberdade presa nas grades das casas onde vive grande parte da população brasileira ou na quase nudez proibida de ser mostrada, até a democracia limitada por força legal ou na esperança que esta mesma população destina ao Legislativo a cada quatro anos.
Muda-se para o Paraná onde vive por seis anos e, ao retornar à sua terra natal, volta a atuar também nas visuais, produzindo óleos sobre tela em séries temáticas, sendo a primeira, "Roda de Chimarrão", uma reflexão sobre a preservação da identidade gaúcha e a propagação pelo mundo afora desta cultura, que acredita ser o que o torna gaúcho e a toda sua família e a grande maioria de sul-rio-grandenses que conheceu e com quem conviveu ou convive.
Fecha seu primeiro negócio vendendo dois de seus óleos: "A face polida da cidade" e "Espelho"; publica este website; expõe pela primeira vez fora do RS, em Cascavel, PR e conquista seu primeiro catálogo por sua participação na coletiva "Arte Cidadã IX" da Câmara dos Deputados em Brasília, DF, onde deixa tombado o óleo "RODA DE CHIMARRÃO - Em torno do churrasco".
Vendo neste fato a expressão do reconhecimento de um trabalho que, infelizmente, nem todo mundo considera, produz a série "Pessoas Trabalhando", para lembrar que todo trabalho é digno e, quem quer que o exerça também o faz com o intuito de pagar contas, contribuições, impostos, quitar possíveis dívidas e realizar sonhos.
Desde dezembro de 2016 participa, a convite da AVA Galleria, do Projeto "Café e Arte", ao qual produz a série "Café para quem sabe" para suas primeiras coletivas internacionais: em Nova Iorque, EUA e em Helsinque, Finlândia e, a partir de dezembro de 2017, oferece quatro possíveis projetos expositivos: "Fotografias", "Roda de Chimarrão", "Pessoas Trabalhando" e "Esperança".